Dragon Ball Z: Kakarot tenta reformular o combate de Xenoverse

Dragon Ball Z: Kakarot tem lançamento em 17 de janeiro no Brasil para PS4, PC e Xbox One e, na BGS 2019, pudemos testar o game, principalmente o sistema de combate na luta clássica entre Goku e Raditz. Parece que a Bandai Namco não quis se desfazer do modelo de luta da série Xenoverse, apesar do sucesso de lutas em 2D de Dragon Ball FighterZ. Em Kakarot, não há lutas tão afastadas como na outra série, mas é fato que o jogador terá que se deslocar bastante se quiser dar socos e chutes no adversário. Abaixo você confere todos os detalhes do teste que fizemos na BGS 2019.

Siga O Meu Jogo no Facebook, Twitter e Instagram!

Dragon Ball Z: Kakarot tenta reformular o combate de Xenoverse
Dragon Ball Z: Kakarot tenta reformular o combate de Xenoverse / Reprodução

A nem tão nova luta em Dragon Ball Z: Kakarot

Se você pensar que Xenoverse foi bastante criticado e que seu sucessor, FighterZ, foi muito elogiado, é de se esperar que a produtora poderia investir num estilo parecido com o último game. Entretanto não foi isso que a Bandai Namco fez. Eles preferiram acreditar no modelo de luta de Xenoverse e aperfeiçoá-lo ao encurtar o cenário e focar mais o objetivo do jogador, para que não haja outros elementos que o disperse.

Além disso, os combos com socos, chutes e habilidades especiais são fáceis de se fazer e recompensadores de se dominar. É bastante prazeroso aplicar uma série de golpes corpo a corpo contra o inimigo e finalizar o combo com algum ataque especial, ou ainda se teleportar (ao toque de um botão) para continuar a investida e não deixar o adversário se defender apropriadamente.

O que você achou?