Sea of Thieves traz aventura em equipe como diferencial para conquistar jogadores

Sea of Thieves é um exclusivo para Xbox One e PC que será lançado em 2018, mas para os visitantes da Brasil Game Show o jogo pode ser testado para que o público conheça um pouco mais desse “mundo compartilhado” do game anunciado na E3 2016 que ganhou vídeos de revelação e de gameplay. O foco de Sea of Thieves está na aventura em grupo, você pode juntar amigos para viajar pelos mares encontrando outros navios piratas para derrubar ou então buscar tesouros e enfrentar esqueletos em ilhas misteriosas.

Sea of Thieves na BGS 2017
Foto: Rodrigo Rosalinski

Durante o nosso teste de Sea of Thieves na BGS 2017, jogamos por 30 minutos que, se comparado a outros títulos na feira, tem um tempo muito maior para que os jogadores entendam o game. Porém, isso se justifica enquanto você joga, já que Sea of Thieves tem uma jogabilidade totalmente ligada à comunicação em equipe. Seja para subir ou descer âncoras e velas, pilotar o barco e orientar a navegação o espírito de equipe deve se fazer bastante presente e compactuar com um bom clima em momentos tranquilos durante as viagens e em situações tensas ao encontrar navios inimigos.

Sea of Thieves tratou de montar um jogo que explorasse toda a vida de um pirata, com a liberdade de se fazer o que quiser e com ousadia já que incrementou e deu tanta importância à relação entre a tripulação seja via comunicação por voz ou por texto, mais futuramente tanto no PC e Xbox One. Como um pirata, você pode se tornar uma ameaça dos mares para qualquer barco que ver perdido, ou viajar para ilhas distantes para encontrar tesouros.

Sea of Thieves na BGS 2017
Foto: Rodrigo Rosalinski

E essa é uma das grandes vantagens do game. As escolhas são muitas e funções também, já que até o navio não navega simplesmente, é necessário que cada jogador online tenha humildade de aceitar decisões e também tenha criatividade para propor outras diferentes. Enquanto um pirata orienta o piloto, outros podem preparar os canhões para eventuais conflitos ou subir as escadas para uma melhor visão de ilhas e barcos.

O jogo é em primeira pessoa e nesse sentido lembra um pouco de No Man’s Sky, inclusive com armas diferentes. No teste, havia a tradicional espada de pirata que é a melhor opção em confrontos próximos dentro de barcos e nas ilhas já que não gasta munição e tem golpes mais rápidos, além de duas armas de fogo com munições diferentes para ataques mais distantes que podem ser feitos, inclusive, enquanto nada para alcançar uma embarcação.

Sea of Thieves na BGS 2017
Foto: Rodrigo Rosalinski

Além da jogabilidade, Sea of Thieves mostrou que é um game para todas as idades, já que o visual cartoon alcança e chama atenção de crianças que se alia a uma ação com tiros, espadas e muita aventura para conquistar um público mais adulto na feira.

Esse é o meu jogo!

O que você achou?