Assassin’s Creed Origins traz combate mais complexo e mantém a diversão

Assassin’s Creed Origins será lançado apenas em 27 de outubro para PS4, Xbox One e PC, mas, na Brasil Game Show 2017, os visitantes podem jogar o game da Ubisoft para saber um pouco sobre a jogabilidade e cenário que, em Origins, estão ainda melhores do que em Syndicate, com combates com mais funções e botões para o jogador, mas sem perder a essência furtiva e das fugas de inimigos ao estilo parkour.

Assassin's Creed Origins na BGS 2017
Foto: Rodrigo Rosalinski

Durante o teste de sete minutos na feira, nota-se rapidamente como o game está bem contextualizado. Retratar e reproduzir a história é uma marca da franquia e em Origins isso fica ainda mais evidente com as areias, pequenas cidades e nas roupas tanto do protagonista Bayek quanto dos NPCs pelo game. Além disso, é divertido sentir que quase tudo no game pode ser usado ou tem vida, como, inclusive, encontrar um jacaré num rio e começar a enfrentá-lo.

O combate em Origins foi aperfeiçoado para atender aos jogadores que gostariam de contemplar um estilo de luta mais complexo, com dois botões de ataque, um mais rápido e outro mais forte para fazer seus combos em diferentes inimigos. Além disso, a arma secundária de Bayek é um arco e flecha para abater adversários a longa distância, o que coloca um pouco mais de estratégia no momento de se pensar em uma investida sorrateira. Há também botões específicos para defender os ataques inimigos e desviar deles.

Assassin's Creed Origins na BGS 2017
Divulgação

Quanto aos gráficos, parece que um intervalo de dois anos desde o lançamento do último game da franquia fez bem para Origins. Este é bem diferente de Syndicate principalmente quanto ao clima, já que aqui o sol, a luz do dia e tons mais claros colocam ainda mais beleza ao game. E não é só em terra que o jogo está bem feito, os lagos e rios do jogo têm inspiração completa de oasis com muitas árvores altas, focando bastante na natureza misturada a um começo de uma metrópole no meio de um campo de areia.

O mapa do jogo parece estar bem grande, já que em nenhum momento do teste passamos pelo mesmo local mais de uma vez, pelo contrário, os locais são bem espalhados pelo cenário para mostrar e ajudar o jogador no momento das missões, já que é possível ter uma ideia de onde é a cidade e fora dela.

Esse é o meu jogo!

O que você achou?